Notícias

São entregues mais equipamentos agrícolas

As 72 famílias cadastradas e associadas à Cooperativa dos Agricultores Familiares do Flor do Amazonas (COOAFFA), do Projeto de Assentamento Flor do Amazonas, no município de Candeias (RO), foram beneficiadas com a entrega de equipamentos agrícolas adquiridos pela concessionária Santo Antônio Energia, empresa responsável pela operação da Usina Hidrelétrica Santo Antônio.

 

Os equipamentos entregues – trator, carreta, grade aradora e plaina agrícola -, no valor de R$ 130 mil, fazem parte de cinco projetos em diferentes assentamentos rurais que estão recebendo o apoio técnico e financeiro da Santo Antônio Energia. Os assentamentos beneficiados são o Projeto de Assentamento Florestal (PAF) Jequitibá, e Projeto de Assentamento (PA) Flor do Amazonas, em Cadeias do Jamari; os produtores de galinha caipira moderna da Comunidade de Porto Verde, a Coopverde, localizada no km 13 da BR-364, os piscicultores do Lago Cujubim, reunidos na Coopelago, na localidade de Cujubim, no baixo rio Madeira, e o reassentamento Novo Engenho Velho. Os projetos vão beneficiar aproximadamente 200 famílias rurais através da implantação de avicultura, piscicultura e sistema agroflorestal.

 
Os trabalhos foram iniciados há seis meses, com a mobilização dos agricultores pelo poder publico: Semagric, Seagri, Emater – RO, entre outros agentes de fomento, e agora recebem uma assistência técnica mais intensa no sentido de fortalecer as organizações e estruturar as comunidades para que alcancem a almejada melhoria na qualidade de vida. No âmbito técnico, o que se espera é o desenvolvimento de metodologias exitosas, a serem replicadas pelo poder público às demais comunidades.
 

A Santo Antônio Energia utilizará recursos do Sub Crédito Social, empréstimo do BNDES, um recurso que só deve ser usado na linha de Investimento Social de Empresas (ISE), sobretudo para a geração de trabalho e renda agricultura familiar, e que depois será reembolsado ao banco pela Santo Antônio Energia. Estão previstos investimentos da ordem de R$ 12 milhões, que serão usados na contratação da assistência técnica, aquisição de equipamentos, que começam a ser entregues a partir deste mês de maio e que beneficiarão novas comunidades no futuro.

 

Peixes & galinhas

O analista socioambiental da Santo Antônio Energia, Antonio Marques de Mello Neto, é o interlocutor entre a empresa e os agricultores, conta que no PAF Jequitibá será desenvolvido o sistema agroflorestal, com plantio de frutíferas e essências, sem necessitar fazer desmatamentos. Já para o Assentamento Flor do Amazonas será incentivada a avicultura, com a construção de um abatedouro na região do Distrito Industrial de Porto Velho, que também vai atender aos produtores de aves da Coopverde. Estão sendo feitas negociações com o Estado para identificação de um terreno onde esta infraestrutura poderá ser implantada.

 

“Estamos estudando junto com a comunidade do lago Cujubim, no baixo rio Madeira, para implantação de tanques-rede para criação de peixes. A fase atual é de estudo a respeito dos equipamentos necessários para a profundidade do lago e para as características hidroquímicas da água”. Para a comunidade do Novo Engenho Velho, na margem esquerda do Rio Madeira, onde residem as famílias que moravam na área do canteiro de obras e que foram os primeiros a serem remanejados, está sendo desenvolvido o “Projeto Vitrine”, onde os técnicos vão mostrar, na prática, alternativas produtivas, para que cada família escolha aquela tenha mais facilidade em desenvolver, como plantio e industrialização da mandioca, tanque suspenso para piscicultura ou plantio de horta.
 
Para Mello, “a Santo Antônio Energia está dando sua contribuição para a geração de trabalho e renda por meio da agricultura familiar, visando seu fortalecimento, e o resultado esperado é que os produtores tenham um aumento de renda e consequente melhoria da qualidade de vida. A isso se soma o aprimoramento profissional em metodologias de fomento ao desenvolvimento socioeconômico do município de Porto Velho, em experiências replicáveis ao estado de Rondônia.”