Notícias

Santo Antônio Energia apresenta ações de prevenção e combate à Malária

mosquiteiro_21_11A Santo Antônio Energia participa da XIII Reunião Nacional de Pesquisa em Malária que começou hoje e segue até o dia 23 em Manaus. Participam do evento pesquisadores e profissionais de saúde que debatem as ações de prevenção e controle da Malária no Brasil e estabelecem prioridades de pesquisa que possibilitem a melhoria da qualidade de vida dos pacientes acometidos pela doença.

Durante o evento, a Santo Antônio Energia apresenta as ações de controle da Malária do Programa de Saúde Pública que já investiu mais de R$ 22 milhões. Os trabalhos envolveram contratação de mão-de-obra, construção de pontos de apoio, aquisição e distribuição de equipamentos (veículos, microscópios, termonebulizadores, mosquiteiros, entre outros) e realização de mobilizações. Mais de 30 mil Mosquiteiros Impregnados de Longa Duração (Mild) foram instalados em várias comunidades de Porto Velho e também nas terras indígenas Karitiana e Karipuna. As telas impregnadas com inseticida não prejudicial à saúde humana são instaladas em camas, berços e redes. Elas têm a capacidade de repelir, imobilizar e matar o mosquito transmissor da Malária, diminuindo significativamente os casos da doença. Os equipamentos já são utilizados com frequência na África. Aqui no Brasil, a Santo Antônio Energia foi a primeira empresa privada a realizar sua distribuição em larga escala.

Tantos trabalhos já rendem significativos resultados em Porto Velho. Se em 2007, um ano antes do início das obras da usina hidrelétrica Santo Antônio, a Incidência Parasitária Anual (IPA) era de 85,9 casos de Malária por grupo de mil habitantes, em 2012 o número foi de 33 casos por mil habitantes, o que corresponde a uma redução de 30%. Com isso, segundo a classificação do Ministério da Saúde, Porto Velho passou de alto para médio risco de adoecimento. Na chamada 3ª região de saúde, que abrange Jacy-Paraná e localidades do entorno, houve redução de 68,1% de janeiro a outubro de 2013 se comparado ao mesmo período do ano anterior. Mais um dado importante foi a redução de Malária causada por Plasmodium falciparum, responsável pela forma mais grave da doença. O número passou de 19,9% em 2007 para 3,03% em 2012, resultado melhor do que o verificado no restante da Amazônia Legal.

Estes importantes resultados percebidos em Porto Velho também estão sendo apresentados no evento pelo coordenador do programa de Saúde Pública da concessionária, Kaio Ribeiro.  “Estamos felizes com os resultados dos trabalhos com a entrega e a instalação de MILD e estamos divulgando essas informações no evento. É importante ressaltar também o engajamento da população que recebe bem as equipes de endemias e usa corretamente os mosquiteiros. Esperamos que, cada vez mais, os números referentes à Malária continuem reduzindo em Porto Velho”, declara Kaio Ribeiro. Também participa do evento o gerente de Sustentabilidade da Santo Antônio Energia, Guilherme Abbad, que será o mediador de uma das palestras, a convite do Ministério da Saúde.