Notícias

Mais profissionais locais para a UHE

A Santo Antônio Energia já contratou 100 pessoas, sendo 67 delas de Rondônia, para os trabalhos de operação, manutenção eletroeletrônica e eletromecânica da Usina Hidrelétrica Santo Antônio, atividades que continuarão a ser exercidas mesmo depois da conclusão da obra (em 2015) durante os 35 anos de concessão do empreendimento. A priorização da mão de obra local não é uma novidade no canteiro de obras. Desde que a usina hidrelétrica começou a ser construída, em setembro de 2008, o número de funcionários oriundos de Rondônia varia de 70% a 80%.

 

Para os trabalhos de operação e manutenção foram contratados profissionais com cursos técnicos, que já haviam trabalhado no canteiro de obras ou formados por escolas técnicas de Rondônia. As contratações começaram no ano passado. Após um treinamento de 60 dias envolvendo aulas teóricas e práticas, todos já estão trabalhando no empreendimento, totalizando parte dos 250 que serão responsáveis pela manutenção e operação da UHE Santo Antônio.

 

“A Santo Antônio Energia prioriza os moradores de Rondônia empregando-os e oferecendo qualificação. Com a especialização e a experiência adquiridas aqui na usina, estas pessoas estão preparadas para realizar este tipo de trabalho com segurança e qualidade. Mais do que um compromisso associado à construção da nossa usina hidrelétrica, a priorização da mão de obra local fortalece a relação duradoura que a empresa vem estabelecendo com o estado de Rondônia, já que estaremos presentes aqui por pelo menos 35 anos”, afirma o gerente de Operação e Manutenção da Santo Antônio Energia, Amauri Alvarez .

 

Edemilson da Silva Targino, 28 anos, é um dos contratados. Natural de Vilhena, já trabalhou como vendedor de roupas em comércios da família até fazer o curso técnico de Eletrotécnica para ingressar em Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH). Ele enviou seu currículo para a UHE Santo Antônio e em julho do ano passado começou a trabalhar na hidrelétrica. “Este emprego foi a melhor coisa que me aconteceu. Quando cheguei aqui, tomei um susto com o tamanho da obra. É um desafio”, declara.

 

Na UHE Santo Antônio, Edemilson acompanha os ensaios de operação e funcionamento de turbinas, trabalho que lhe despertou a vontade de cursar a faculdade de Engenharia. “Ano que vem pretendo voltar a estudar. Quero fazer Engenharia Civil”, afirma.

 

Outra contratada é Débora Elisa Silva, de 23 anos, que ingressou na usina em 1 de agosto de 2012 para trabalhar na Eletromecânica, que cuida da manutenção elétrica de equipamentos como linhas de transmissão, subestação coletora, vertedouros e turbinas. Ela fez o curso técnico do Senai e cursa o oitavo período de Engenharia Elétrica na Unir. “É maravilhoso trabalhar aqui e sei que essa experiência será muito importante para minha carreira”, conclui.

 

Na regulação de velocidade e de tensão das turbinas trabalha Mábio Vieira (foto), de 27 anos. Nascido no Amazonas, Mábio reside em Porto Velho há mais de dez anos. Ele é tecnólogo em Sistemas Elétricos, fez estágio na usina de Samuel e atuou como eletricista industrial no canteiro de obras da UHE Santo Antônio por dois anos. Em agosto do ano passado iniciou os trabalhos na operação e manutenção da usina. Ele conta que pretende cursar a faculdade de Engenharia de Controle e Automação e que tem planos de “fazer carreira na empresa”. “Quero crescer profissionalmente e fico muito feliz com essa valorização da mão de obra loca”, declara.