Notícias

Indígenas protegidos contra a malária

A Santo Antônio Energia iniciou esta semana as ações de prevenção e combate à malária nas terras indígenas Karitiana e Karipuna, inseridas no Programa de Apoio às Comunidades Indígenas da concessionária e na lista de localidades definidas pelo Ministério da Saúde para serem atendidas pelo projeto Fundo Global.

 

Desde o dia 12 de junho, estão sendo distribuídos Mosquiteiros Impregnados de Longa Duração (Mild) para todos os 400 moradores das duas terras indígenas. As telas impregnadas com inseticida não prejudicial à saúde humana têm a capacidade de repelir, imobilizar e matar o mosquito transmissor da malária, diminuindo significativamente os casos da doença. Os equipamentos já são utilizados com frequência na África. Aqui no Brasil, a Santo Antônio Energia foi a primeira empresa privada a realizar sua distribuição em larga escala.

 

Agentes contratados pela empresa fazem a instalação dos mosquiteiros ao redor das camas, berços e redes das aldeias. Eles também orientam os indígenas com relação ao uso e à limpeza das telas (que podem durar até cinco anos), distribuem um calendário que indica o período correto de lavagem do equipamento e, no final da ação, colam em cada casa um selo que indica que aquela família está protegida. Os indígenas que não falam português recebem as informações de uma tradutora que explica todo o processo em Tupi, família Ariquém, sua língua nativa. Os que têm costume de pescar ou caçar em outras aldeias ganham mais um mosquiteiro para o uso nas viagens.

 
O senhor Luiz Francisco, que há sete meses é cacique na comunidade Karitiana, reconhece a importância do uso dos equipamentos. “Muitas pessoas já pegaram malária aqui na aldeia. É uma doença grave que pode matar se a pessoa não tomar remédio. Por isso é importante o uso desses mosquiteiros e eu confio neste trabalho da empresa”, declarou. Outra moradora da aldeia, Angélica Karitiana, conta que seu filho de 4 anos já teve a doença. “Aqui tem muito mosquito e meu filho já adoeceu de malária. Com o mosquiteiro vai ser muito bom. Eu já aprendi a usar e a fazer a limpeza”, afirmou.
 
Os Mild foram doados pelo Ministério da Saúde e serão distribuídos e instalados nas aldeias pela Santo Antônio Energia até o dia 21 de junho. Desde 2009, com o início do Plano de Ação de Combate à Malária da empresa, já foram distribuídos mais de 14 mil mosquiteiros impregnados para a população de Porto Velho, mesmo em regiões não afetadas diretamente pelo reservatório da hidrelétrica. Em algumas regiões houve redução de mais de 50% dos casos da doença.