Notícias

Geração Criativa

A pequena comunidade de São Sebastião, localizada na margem esquerda do rio Madeira, em frente a Porto Velho, recebeu a segunda oficina de desenho e pintura do projeto “Geração Criativa”, que a Santo Antônio Energia – concessionária responsável pela construção e geração da UHE Santo Antônio – está realizando em comunidades do entorno de seu reservatório. As oficinas são ministradas pelo artista plástico Mikéliton Pereira Alves e que terá como resultados, além do desenvolvimento das habilidades dos participantes, uma exposição ao final do projeto.

 

São 21 alunos, a grande maioria mulheres, que participam das oficinas de desenho e pintura, em que são ensinadas a história das artes plásticas, a mistura das cores e as técnicas básicas do desenho sobre vários suportes. “Eu proponho que os alunos trabalhem com imagens e materiais da própria comunidade, como os pássaros, as plantas e os peixes, além daquilo que os cerca. Aqui em São Sebastião, um dos grupos apresentou um trabalho sobre plantas medicinais, um conhecimento que é repassado de mãe para filho e todos tem uma planta dessas no quintal”, explica Mikéliton.

 

Por iniciativa dos alunos, foi pedido a Mikéliton que os ensinasse a fazer o retrato da dona Esmeralda Jerônimo da Silva, 90 anos e matriarca da comunidade. A aula foi em frente à casa da homenageada. “A dona Esmeralda é avó de várias alunas e aceitou posar para nós”, explica Mikeliton.

 
Os alunos da oficina encerram os trabalhos neste sábado com uma visita à Casa de Cultura Ivan Marrocos, onde verão uma exposição de fotografias e duas de artes plásticas, além de participarem de uma palestra.
 
As próximas oficinas serão realizadas na Vila Nova de Teotônio e no bairro do Triângulo. A finalização do projeto será com uma exposição dos trabalhos selecionados nas quatro oficinas (a primeira foi em Jacy-Paraná), na galeria do SESC Centro, em novembro.
 
O ministrante das oficinas é o artista plástico paraibano Mikéliiton Alves Pereira, que está trabalhando em Rondônia desde 2008 e retrata os ribeirinhos, mostrando o cotidiano das famílias. Os trabalhos dessa pesquisa foram expostos na Galeria Nacional em Brasília, no ano passado, com o título “Rio Madeira – O Gigante da Floresta”.